Imagem capa - Um bebe, família, amigos e um negócio para gerir por flashupstories
Pessoal

Um bebe, família, amigos e um negócio para gerir



Olá meus queridos, desculpem toda a minha ausência mas isto de gravidez/ser mãe tem muito que se lhe diga. E vim falar-vos disso mesmo, sim no site da flashupstories. Acho que faz todo o sentido visto que vocês também fazem parte da minha vida. Sem filtros, aqui vai...

Já passaram 3 meses, meu deus 3 meses. Passou taooo rápido. 

Como muitos sabem eu não gostei muito de estar grávida. Sim adorei a barriguinha (que ainda cá está na verdade 😂) , adorei os pontapés, adorei que fosse só meu, tudo isso. Mas uma gravidez é muito mais que isso e houve muita coisa que não gostei. É muito tempo de gravidez, é cansativo, eu gosto muito do meu trabalho e chegar ao ponto de parar foi muito difícil. 

Depois o Lourenço nasceu e tudo ganhou um novo rumo. É um amor incondicional sem dúvida e que vai crescendo ao longo dos dias. Não, não tive aquela sensação maravilhosa que dizem que quando eles nascem e nós ficamos logo “uuuuaaaauuu”. Não ! É muita mistura de sentimentos, um ser nosso, a pressão da responsabilidade, o “agora ele está aqui, agora ele é meu para sempre e vou ter de o fazer feliz”. Acho que é um amor que se constrói. Não é nada instantâneo. 

Muita coisa mudou cá em casa, temos um berço no nosso quarto, a casa raramente está arrumada (só fica arrumada quando a Carlinha vem cá fazer magias), os primeiros tempos foram muito complicados, não havia tempo nem para tomar banho e mesmo agora é difícil. Andar de pijama todo o dia, olheiras, cabelo tipo palha e nada de maquilhagem. Muitas mudanças tanto físicas com o nosso corpo, como psicológicas e pessoais. 

Mas nós adaptamo-nos. Reorganizamos o nosso dia para fazer aquele ser feliz. Para lhe dar tudo!


FOTOGRAFIAS GRAVIDEZ: Marco Ventura (Obrigada mais uma vez, estão lindas!)


Felizmente tenho um homem incrível do meu lado e um excelente pai. Ele vai trabalhar e deixa tudo pronto para ser mais fácil, quando preciso ou o dia está mais complicado traz-me almoço ou jantar. Nunca falha.

Ao início era impossível trabalhar. Nunca conseguia. É uma mudança grande na nossa vida e o choque é brutal. Sentimos que temos de fazer tanta coisa e não conseguimos fazer metade. Da rotina, ao amamentar, ao choro que não sabemos do que é, o cansaço constante, a pressão, toda a gente a querer vir ver-nos, noites mal dormidas, as consultas do peso, etc. enfim tudo e mais alguma coisa. 

Neste momento já estamos os 3 muito mais adaptados a esta nova vida. Já nos conhecemos. Já adaptámos o nosso dia a dia às nossas necessidades. Já conseguimos sair com ele, ir às compras, à farmácia. Já consigo ir trabalhando. 


Quando preciso de trabalhar o Miguel fica com ele, e se o Miguel não puder temos pais maravilhosos que nos ajudam muito. 

No meu caso, trabalhadora por conta própria, o desafio é diário e constante. 

Todos os dias, independentemente se dormimos bem ou não, temos de responder a clientes, ter o negócio ativo, nunca podemos carregar no off e puff ... desligar! 

Não há baixas nem férias que nos possam desligar do nosso negócio. Se não trabalharmos, ou pelo menos se não dermos uma resposta ao cliente que está à espera de algum trabalho o nosso negócio não vai durar muito mais tempo. 

Claro que existem negócios próprios onde existe o “patrão”. Que tem o negócio mas se ele nas estiver funciona tudo igual. Depois existe casos como o meu onde temos o negócio com o dono trabalhador, que é como quem diz, o negócio onde o dono é que põe a mão na massa e faz as coisas acontecerem.


A pressão é enorme. Nunca sei se o dia vai ser fácil ou não , se o Lourenço me vai deixar ir ao computador ou se vai estar num dia que quer brincar ou que só chora. 

Digo muitas vezes aos clientes “amanhã entrego isso” , “terça envio não sei o quê”, “podemos marcar a reunião dia x” e num segundo estes planos podem mudar. 

Agradeço muito aos meus noivos que são muito compreensivos e na maioria todos entendem estas coisas. Mas claro que há casos que não são assim e nós temos que fazer magia e inventar horas ao tempo ou ir para a cama tardissimo. E depois isto é uma bola de neve e o cansaço acumula. 

Felizmente quando o Miguel pode e não está a trabalhar ajuda muito. 

Quanto à nossa vida de amigos nada mudou. Continua tudo igual, temos uma sorte do caraças com os amigos que temos. Continuamos a jantar todos, a sair com eles ou a falar todas as semanas. Nunca tive que dizer que não ia a algum lado por causa do bebé. Se for algo que possa levar o Lourenço ele vem e os nossos amigos adoram. Se for algo que não possa ou não convém, ligo à minha mãe, ele fica com ela e nós vamos. Claro que passo a vida a pedir fotos e a ligar-lhe, mas faz parte. É muito importante não perdermos a nossa rotina. Somos mães, mas também somos mulheres, namoradas, amigas e trabalhadoras.

Em janeiro começo a dar aulas e o Lourenço vai para a creche 🤦‍♀️ , e eu já estou arrepiada só de pensar. 

Depois conto como correu. 

Sejam fortes mães e pais. Tudo vai dar certo. 

Um beijinho meu e do Lourenço :)