Imagem capa - A Mulher por detrás da Flashupstories  por flashupstories
Pessoalflashupstories

A Mulher por detrás da Flashupstories

Olá, eu sou a Inês, tenho 26 anos e sou de Coimbra. Nasci no dia 28 de Setembro de 1994, o meu signo é balança e isso já diz muito de mim. A mulher deste signo caracteriza-se por ser romântica, sonhadora, persistente, que adora a paz e principalmente  dá muito valor à família, não consegue dizer que não (ou pelo menos custa muito dizer-lo), é muito comunicativa, extrovertida e emotiva. Este signo tem jeito para artes e é uma mente muito criativa (bate tudo certo). Um dos seus principais sonhos é ser empreendedora (também bate certo).

O mais engraçado, e porque ligo muito a isto, é que eu sou balança ascendente em balança, ou seja, sou tudo o que uma mulher balança é.

A minha infância foi sempre muito feliz, cresci com os meus pais e os meus avós maternos é que tomavam conta de mim (vivi na casa deles até aos 8 anos), e talvez por isso até hoje os meus avós são das pessoas mais importantes para mim e muito do que faço na minha vida penso neles. Um dos grandes exemplos disso é ter sido mãe aos 24 anos. Não, não estou a dizer que fui mãe porque queria que os meus avós conhecessem o meu filho mas pesou muito nessa decisão. Fiz ballet até aos 14 anos e tenho pena de ter deixado. 

A minha mãe é a mulher da minha vida e a minha irmã é a minha melhor amiga. O meu pai é também muito importante para mim, no entanto sempre foi mais frio na questão de demonstração de sentimentos e eu sou precisamente o contrário. Mas sei que me adora. 

Nunca fui muito boa aluna até ao 9º ano, nem muito boa nem boa, era uma dor de cabeça para os meus pais na verdade. 

Quando chegou altura de ir para o 10º ano eu não queria nada escolher aqueles cursos "normais" porque não me identificava com nenhum deles. Lembro-me de ter pensado o que queria "ser quando fosse grande" e, na verdade, até pensei em ser educadora de infância porque adoro crianças mas as saídas não eram boas e decidi ir para um curso profissional de Técnico de Multimédia no ITAP, entrei em 2009. Entrei sem grande expectativa e fiquei super assustada porque era a única rapariga da turma. Não foi preciso muito para me apaixonar pela área de Multimédia e fiz um percurso muito bom nesses 3 anos (os meus pais até estranharam, chegaram a ir à escola saber se as notas eram reais 😱😂). 

No 12º ano fiz um estágio numa empresa de fotografia e vídeo de casamento e rendi-me a este tipo de eventos, no inicio até comecei por gostar mais de vídeo mas logo me apercebi que tinha mais jeito e gostava mais de fotografia. Acabei o curso e entrei na ESEC para tirar Licenciatura em Comunicação e Design Multimédia, hoje arrependo-me um pouco porque acho que iria gostar mais de Comunicação e Marketing e complementava-me mais. 

Em 2014 comecei a trabalhar como fotógrafa assistente de casamentos e cada vez a paixão era maior. Como o meu sonho sempre foi ter o meu próprio negócio decidi criar a minha própria marca no final de 2015 juntamente com um colega na área de vídeo (que entretanto seguiu outro rumo), na altura era a flashupdesign, que entretanto, no final de 2016, mudei o nome para flashupstories. 

A definição deste nome é muito importante para mim, flashupstories vem de três palavras diferente. "flash" de flashback, reviver o momento. "Up" de subir, crescer, ambicionar mais. "Stories" de histórias, histórias diferentes, pessoas diferentes.

Em 2017 fizemos o primeiro casamento da flashupstories, dos que mais significou para mim! Imaginam o quanto se tem de confiar em alguém para entregar um dia que acontece outra vez a uma pessoa que, apesar de ter experiência, tem pouca e além disso não tem  grande portfólio.  A Vanessa e o António confiaram e até hoje são meus amigos e daqueles mesmo especiais. ❤️

Ao longo deste percurso conheço em 2018 o que viria a ser o meu melhor amigo e pai do meu filho, o Miguel. E já que estamos no dia da mulher importa referir, que no meu caso, existe um grande homem por detrás desta mulher. O Miguel, também ele de signo balança, conheceu-me num momento mau da minha vida, mau psicologicamente. Era uma Inês sem auto-estima, que não acreditava no próprio trabalho e que tinha deixado de acreditar no amor em parte. Ele é quem me trás à terra quando estou a voar sem rumo e quem me faz voar quando me perco na terra, entendem?

Em Janeiro de 2019 descobri que estava grávida, tínhamos planeado mas nunca pensámos que acontecesse tão rápido, demorei 1 mês a engravidar e quando descobri tive dos momentos mais felizes da minha vida. A época quer foi acabou por ser difícil porque apanhou 90% da época de casamentos. Fiz casamentos até Agosto e depois disso valeram-me uns amigos da área que souberam tão bem dar o melhor deles pela flashupstories. Contámos à família e, embora que os meus pais tivessem um pouco de medo (a minha mãe é enfermeira no bloco de partos, imaginem o drama dela), reagiram todos bem. 


Decidi, com muito apoio do Miguel, abrir loja em Abril do mesmo ano (já estava na altura e precisava de um quarto para o bebé. Quando ele nasceu, a 25 de Setembro de 2019 (também ele balança), renderam-se a ele, nunca vi os meus pais, mana, avós, e tios tão babados como quando o conheceram. A minha mãe esteve comigo desde sempre, não imagino o que sofreu por mim, o parto não foi de todo muito fácil e mais que o Miguel até, a minha mãe sabia que as coisas não estavam a correr no seu melhor. O Lourenço nasceu e teve que passar a noite a levar oxigénio, estava tão "drograda" com a sedação que não me lembro do primeiro momento que o vi (só pelo vídeo que gravaram). No dia a seguir estava comigo, ainda teve que fazer fototerapia, passei o inicio do meu aniversario na maternidade mas acabou por correr tudo bem. 


Hoje sou uma mulher feliz, uma mãe agradecida e tenho uma família que me apoia e ajuda muito. Não é fácil, nos tempos que decorrem, estarmos sem creche para o Lourenço (ai que falta que me fazem e que valor dou, AINDA MAIS, aqueles seres humanos incríveis que ajudam no crescimento do Lourenço), ter de trabalhar e andar sempre a organizar o dia para ver com quem fica o Lourenço. O Miguel trabalha em restauração portanto também é difícil em termos de horários.


Agradeço muito a família que temos e o Lourenço não pode queixar-se, ora vai à avó Alice, ora anda no campo com a avó Irene, ou vai cuidar dos "piu pius" com o avô Mário, ou fica com a madrinha e o Toninho ou com a tia Cristina, o tio Gil e os bisavós. Tenho a sorte de ter tanta gente por perto que me ajuda a fazer dele uma criança feliz. ❤️



E no meio da pandemia ainda decidi que não era isto que me ia deitar abaixo e ia abrir uma nova marca "Triggu", dedicada a gestão de redes, fotografia e video comercial, sites e design, juntamente com dois amigos da área de vídeo, o Ricardo e o Cláudio, de modo a fazermos outras coisas que também sabemos (somos todos de Multimédia). Mudei de espaço que até hoje está fechado devido ao confinamento 🤦‍♀️, mas tudo vai correr bem. 🌈

E para além de todos os homens que estão presentes na minha vida de alguma forma, ainda tenho o Carlos e o Diogo, que trabalham agora comigo e tão intensamente e com tanta entrega me têm ajudado a não ir abaixo. A flashupstories não estaria como está sem vocês, sem cada um daqueles que mencionei. 

Por isso, apesar de achar que a nossa sociedade ainda não é uma sociedade de igualdade de género e querer e tentar contribuir muito para que seja, posso dizer que estou rodeada de muitos homens que me fazem sentir uma Mulher com "M" grande!


A vocês homens que fazem parte da minha vida, obrigada por fazerem com que este dia seja o meu dia mas sabendo que sou uma Mulher muito sortuda. 🍀

E a quem não respeita as mulheres, aqueles que ainda pertencem a uma sociedade machista e não valorizam as mulheres, parem e pensem! Porque isto não durará sempre e nós somos tão capazes como vocês, merecemos tanto quanto vocês e pergunto-me, seriam vocês capazes de viver sem nós?

No dia ontem aconteceu algo bonito. 5 mulheres decidiram criar um movimento com mais mulheres e em breve, muito vão ouvir falar de nós  fotógrafAs, videógrafAs, com talento e empreendedoras capazes de muita coisa, com direitos, a lutar por uma sociedade de igualdade de género. Estejam atentos ao instagram @womenonweddings. Obrigada em especial à Rita Rocha que me convidou para este grupo tão bom e que tanto fez sentido este ano, nestes tempo, no dia de hoje, na minha vida. 


Obrigada, e desculpem se só conseguiram ler 5 linhas e não chegaram até ao fim. Não consegui resumir aquilo que sou, aquilo que defendo e a quem agradeço ❤️


Um beijinho,

Inês Simões, 

a mulher por detrás de uma história, de uma marca. Uma mãe, filha, namorada, neta, amiga, fotógrafa, uma MULHER!